quinta-feira, 17 de setembro de 2015

dos orbitais...

.
"que música é essa?
que invade o poema
e me impele a escrever?

que ritmo é esse?
que escolhe palavras
a seu bel prazer?"

Bernardo Vilhena
.

.
essas maturações
que vão crescendo 
dentro
e depois viram barcos
de papel
desiludidos
esses fetos
indistintos
arrebentando
essas partes de dentro
dilacerando
sensações
de vento
onde o parto
mais difícil
é continuar
vivo
...................................................................

a figura do poeta 
moderno atrasado
a figura do poeta 
em tempos de revoluções 
a figura do poeta 
em tempos de indiferença























...................................................................

incomodar por amor dói
...................................................................

nevoeiro leve
e doze graus
de separação
em setembro
20:28
...................................................................

amor à primeira página
nunca virada
nunca vi nada
igual
...................................................................

o sol 
tá aparecendo
solta aparecendo
solta na janela
o sol
...................................................................

amor
casa com a minha alma
te dou casa 
minha cara
roupa 
comida
e alma safada
...................................................................

eu faço de certas coisas
tempestade
porque 
um copo
não é 
nada
......

aos olhos de Michelle
......
......

Vijai Patchineelam

......




Nenhum comentário: